CLÍNICA PARTICULAR OFERECE CONSULTA GRATUITA PARA CINQUENTA CASAIS

Saúde

Apesar de ainda ser considerada um tabu, a infertilidade masculina não deve ser confundida com a virilidade do homem. A dificuldade de ser pai está associada à qualidade e quantidade dos espermatozoides. Se até pouco tempo a responsabilidade em gerar uma criança era atribuída exclusivamente à mulher, hoje já está comprovado que cerca de 40% dos casos de infertilidade de um casal são atribuídos à mulher, 40 % aos homens e em 20% dos casos o problema está presente em ambos os parceiros ou tem causas indefinidas. Em homenagem ao Dia dos Pais, a Insemina, clínica especializada em reprodução assistida, vai promover na quinta-feira, dia 9 de agosto, das 8h às 12h e das 13h às 17h, atendimento gratuito a cinquenta casais com dificuldade para ter filhos. O atendimento, dentro do limite de vagas, será realizado na sede da clínica, no Comércio (Rua Miguel Calmon, nº 40, Edifício Conde dos Arcos, salas 102 e 103), em Salvador, e deve ser agendado previamente pelo telefone (71) 3012-3010.

Além de consulta com especialista em reprodução humana e orientações sobre saúde reprodutiva, os pacientes atendidos, caso haja indicação médica, poderão agendar gratuitamente também o espermograma, exame de análise laboratorial do sêmen, indispensável para avaliar a capacidade reprodutiva do homem.

“Os parceiros devem comparecer juntos à consulta e levar seus exames mais recentes. A infertilidade conjugal deve ser investigada no homem e na mulher”, orienta o médico Joaquim Lopes, especialista em Reprodução Humana e diretor da Insemina.

O objetivo da ação, promovida pela Insemina, é ajudar casais inférteis que não têm acesso aos especialistas em reprodução humana, orientando sobre medidas que podem aumentar as chances de uma gravidez natural, uma vez nem todos os casais que enfrentam problemas de infertilidade necessitam recorrer a uma técnica de reprodução assistida para ter um filho. Estima-se que apenas um terço dos casais necessita técnicas mais complexas para realizar o sonho de ter um bebê.

A infertilidade conjugal é caracterizada como a situação em que um casal, após um ano de tentativa, tendo vida sexual ativa e sem usar medidas anticoncepcionais, não consegue obter uma gravidez.

Infertilidade masculina

Vários fatores podem afetar a fertilidade masculina e comprometer o desejo de ser pai. Segundo o médico Joaquim Lopes, a varicocele, doença caracterizada por varizes na bolsa escrotal, é uma das causas mais comuns da infertilidade no homem e consiste na dilatação anormal das veias que drenam o sangue na região dos testículos. 

Os hábitos de vida e os fatores ambientais são também grandes responsáveis pela saúde reprodutiva. O tabagismo é um vilão apontado pelos especialistas da área.

A baixa produção de espermatozoides pelos testículos, causada por alterações hormonais, e a qualidade do sêmen são alguns dos fatores que influenciam a capacidade reprodutiva do homem. Há também causas genéticas em pacientes que não têm espermatozoides (azoospermia) ou que apresentam uma concentração inferior a quinze milhões de espermatozoides por mililitro de sêmen (oligozoospermia severa). As Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST’s), o uso de cigarro e o consumo de álcool e anabolizantes também podem comprometer a fertilidade do homem.

A exposição a fatores ambientais (poluição, agentes químicos, solventes, pesticidas e alguns metais pesados) também é prejudicial à fertilidade.

Prevenção

Não fumar, ter uma alimentação saudável, beber com moderação, praticar atividade física regular, controlar o estresse e dormir bem são hábitos que ajudam a preservar a fertilidade masculina.

(Assessoria) 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *