MAIORIA DOS ESTADOS AVANÇA NA RETOMADA DA ECONOMIA

Bahia Brasil

O plano de abertura da economia na Bahia está em vigor desde o dia 7 de julho. Os parâmetros adotados valem para a capital, Salvador e todo o território estadual e foram feitos conjuntamente entre estado e prefeitura. O principal critério adotado neste protocolo comum é a capacidade de oferta de leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) à população baiana a partir do poder público, de forma a priorizar a preservação de vidas.

O governador Rui Costa disse, no dia da apresentação do plano, que os critérios e medidas que integram o protocolo valem não só para a capital, mas como para todo o território estadual, e que a primeira fase do protocolo só será ativada quando a taxa de ocupação de leitos de UTI permanecer em 75%, por pelo menos cinco dias seguidos.

Conforme informou a assessoria de imprensa do estado, não houve mudanças até o fechamento da matéria. “Ainda não foi iniciada a primeira fase na Bahia, pois, para isso, os leitos de UTI precisam estar com ocupação de 75% por cinco dias seguidos. Atualmente, esse percentual é de 79%”, informou em nota a assessoria.

O governador comentou que o estado vai abrir novos leitos de UTI em diferentes regiões da Bahia. “Progressivamente, continuamos a abrir leitos de UTI no interior, a exemplo dos 40 instalados em Feira de Santana, no novo Hospital Geral Clériston Andrade, que está passando pelos últimos ajustes antes da abertura. Além disso, vamos abrir mais 10 em Valença, 10 em Jequié, 10 em Itabuna, 10 em Eunápolis, e ainda novas unidades de pronto atendimento em cidades como Jaguaquara e Gandu”, listou o governador.

A Fase 2 só será ativada quando a taxa de ocupação de leitos de UTI se mantiver em 70%, também por, no mínimo, cinco dias. Já a Fase 3 só será colocada em prática quando o Estado alcançar taxa igual ou menor a 60%, também por pelo menos cinco dias.

“Diante desse cenário, as atividades serão retomadas gradualmente, mas respeitando as diferentes fases, a exemplo de shopping centers e centros comerciais, que, na Fase 1, terão funcionamento escalonado para não impactar no transporte público e também terão que seguir uma série de regras, a exemplo de só permitir uma pessoa a cada nove metros quadrados nas áreas comuns e uma a cada cinco, dentro das lojas e, ainda, a utilização de apenas 50% das vagas de estacionamento”, exemplificou o prefeito de Salvador, ACM Neto.

Atividades relacionadas à educação, futebol profissional, e à frequência em parques, praias e demais espaços públicos terão protocolos específicos, que ainda serão divulgados.

O Carnaval de Salvador de 2021 corre risco de não acontecer em fevereiro. ACM Neto afirmou em coletiva na última segunda-feira (13) que se não houver uma vacina contra o novo coronavírus ou condições de segurança até novembro deste ano, a festa mais popular do país pode ser adiada para maio ou junho do ano que vem.

Click para a matéria completa na Agência Brasil 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *