A BAHIA NÃO TEM COMO FAZER TESTAGEM DE DENGUE, SESAB DISSE QUE A CULPA É DA GUERRA

Saúde

Reagentes necessários para realizar exames de RT-PCR para detecção simultânea de zika, dengue e chikungunya estão em falta parcialmente por conta da guerra na Ucrânia, informou nesta segunda-feira (16) a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab).

A vigilância das arboviroses é feita pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), além de 12 laboratórios municipais de referência, usando os reagentes fornecidos pela Coordenação Geral dos Laboratórios de Saúde Pública (CGLAB), do Ministério da Saúde. A quantidade de reagentes fornecidos não tem seguido o que está sendo solicitado, diz a Sesab.

O Lacen foi informado de maneira não oficial que o desabastecimento  acontece por conta do lockdown em parte da Ásia, onde a matéria-prima dos insumos é produzida, assim como a guerra na Ucrânia, que compromete o transporte das importações mundialmente.

Até a regularização do fornecimento dos insumos, ou até a conclusão dos processos de compra, inaugurados pela Lacen na semana passada, as ações de vigilância laboratorial ficarão comprometidas na Bahia, diz a Sesab. A pasta iniciou processo para comprar todos os itens em quantidade crítica para manter estoques.

Atualmente, a Bahia tem nos estoques cerca de 6 kits com 96 testes de dengue cada, 6 kits com anticorpos IgM do vírus chikungunya, sem previsão para nova remessa, antígeno NS1 da dengue – sem restrição de insumos, além de cerca de 400 testes multiplex para detecção de dengue, zika e chikungunya. Além disso, o estado tem cerca de 500 reações para detecção de cada um dos vírus nos protocolos in house para RT-PCR single, mas não tem enzimas master mix em estoque, o que não permite a realização do teste.

O Ministério da Saúde foi procurado para falar sobre o desabastecimento denunciado pela Sesab e a resposta da pasta será incluída assim que for recebida.

Correio 24h

Deixe uma resposta