O SUJO FALANDO DO MAL LAVADO

Política

O ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT) comentou, pela primeira vez, o escândalo da compra da vacina indiana Covaxin, que levou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a ser alvo de um inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF).

Em entrevista a Salvador FM na manhã desta terça-feira, 6, o líder petista, que lidera as intenções de votos para a presidência da República nas eleições de 2022, defendeu os trabalhos da CPI da Pandemia e disse que a Comissão mexeu num vespeiro que vai “mostrar muita coisa”.

“Não pode ter algo mais triste e deprimente, com um país precisando de vacina e com muita gente morrendo por falta de vacina, ficarmos sabendo que pessoas estavam tentando ganhar dinheiro com a vacina, de que o governo protelou a compra de vacina para favorecer as pessoas que estavam tentando roubar dinheiro às custas da vacina, empresas que queriam vender, mas o Brasil não comprou porque queria comprar dessas empresas envolvidas com a corrupção da vacina”, disse.

O ex-presidente afirmou que o governo Bolsonaro fez uma espécie de “mercado livre” com pessoas ligadas ao presidente para comprar vacinas e defendeu o afastamento do chefe do Executivo.

“Obviamente que tem orientação do presidente da República. O Ministério da Saúde não tomaria a decisão sem consultar a presidência da República. Não sou daqueles preciptados, mas na hora que se provar que houve corrupção é preciso interditar a governança do Bolsonaro. Não sei se através da Suprema Corte, ou do Congresso Nacional, com o impeachment, mas é evidente que teve muita falcatrua nessa questão da vacina”, criticou.

A Tarde

Deixe uma resposta